quarta-feira, 5 de maio de 2010

Maio

Maio se repete. Novamente
flores perfumadas nos caminhos,
girassóis amarelos se alongando
ao céu, florescidos entre espinhos.

Maio renova flores nos altares.
Brancas noivas cintilam
jóias -, botões de rosas nos ares
doce perfume evolam.

Maio reveste branco manto
de Maria. Véu de pureza
empana a face de encanto
- face de Fé a refletir beleza.

Maio se transmuda e terno
amor ressurge n´alma.
Maio, amor de Maria, eterno
amor de Mãe, nosso peito acalma.

( Versos dedicados à Maria, Mãe de Jesus e a todas as Mães do universo).

Um comentário:

  1. Lindo poema!
    Parabéns!!!

    Um abraço de sua filha adotiva,

    Maria Maria

    ResponderExcluir